Deus Romano de Júpiter - Mitologia, Simbolismo, Significado e Fatos

2023 | Simbolismo

A mitologia romana era em parte derivada da mitologia grega. Os romanos tinham quase o mesmo sistema de divindades e ambos tinham uma divindade governante e várias outras divindades que estavam sob as divindades governantes. A mais alta divindade em Roma era Júpiter, e todas as outras divindades tinham que ser fiéis a ele. A mitologia romana consiste em muitas histórias que nos ensinam sobre morais e outras qualidades que precisamos entender e aplicar em nossas próprias vidas.

A mitologia romana foi a base de muitas outras religiões, como o Cristianismo e até o Islã. As pessoas muitas vezes não conseguem ver essa conexão, mas a conexão definitivamente existe. Sempre há três divindades principais ou seres sagrados em torno dos quais todo o conceito religioso é baseado. Neste texto estaremos falando sobre o deus romano Júpiter, que era o deus do trovão, do céu e da tempestade.



Júpiter também era a divindade mais elevada da mitologia romana e era freqüentemente chamado em várias situações. Essa divindade suprema era a base em torno da qual toda a religião era cercada, mas além de Júpiter, os romanos tinham muitas outras divindades ou uma divindade para quase tudo que representasse algo importante para eles.



Mitologia e Simbolismo

Júpiter era o deus romano da tempestade, do trovão e do céu. Seu equivalente na mitologia grega era Zeus e em etrusca a Tinia. Júpiter também governava todas as leis e regulamentos. O nome de Júpiter vem da palavra latina lúpiter. De acordo com a lenda, Júpiter era o gêmeo de Juno e foi cuidado pela Fortuna Primigenia. Em outra lenda, Fortuna foi retratado como seu primeiro filho. A razão pela qual as origens de Júpiter são tão diferentes é porque as pessoas habitavam regiões diferentes e, portanto, suas crenças religiosas variaram um pouco. Há muito poucas evidências sobre a infância de Júpiter, ao contrário de Zeus, onde há muitas evidências sobre sua origem.

Outra origem do nome de Júpiter e também do nome de Zeus vem do deus indo-europeu Dyeusus. Júpiter e Zeus são geralmente ligados ou associados como deuses do relâmpago no céu e como o céu da luz. Júpiter era filho de Saturno e Ops. Saturno foi o governante da Idade de Ouro, embora não fosse frequentemente descrito como um personagem positivo. A razão disso é que Saturno realmente comeu seus filhos e matou seu pai.



Júpiter também era a divindade mais poderosa da mitologia romana e era freqüentemente chamado em várias situações. Essa divindade suprema era a base em torno da qual toda a religião estava cercada, mas além de Júpiter, os romanos tinham muitas outras divindades ou uma divindade para quase tudo que representasse algo importante para eles.

A mãe de Júpiter, Ops, deu à luz a ele e a cinco outros irmãos e irmãs. Quando Saturno decidiu comê-los, Ops escondeu Júpiter e o salvou deste destino. A avó de Júpiter, Terra, criou Júpiter e quando ele cresceu, ele castrou seu próprio pai (Saturno), a fim de vingar seu avô que foi morto por Saturno.

Depois que Júpiter se tornou o governante do céu, ele se casou com Cerera e Juno. Duas esposas deram à luz cinco filhos e cada filho teve uma parte do mundo para governar. De acordo com as lendas, Júpiter é um deus gentil que sempre manda chuva, mas quando as pessoas o irritam, ele manda tempestade e trovão. Esta representação mitológica foi derivada da mitologia grega e podemos ver muitas semelhanças entre Júpiter e Zeus.



Da cabeça de Júpiter, a deusa da sabedoria Minerva nasceu. A unidade sexual entre Júpiter e Juno era chamada de hieros gamos ou casamento sagrado. Depois que o casal teve seu filho Vulcano, eles decidiram jogá-lo na água porque ele era muito feio. Depois disso, Júpiter decidiu trazer Vulcano de volta, porque ele era muito útil quando se tratava de forja.

Júpiter governou Roma do Monte Olímpia. Mesmo isso era uma semelhança entre a mitologia romana e grega e não era muito difícil entender como as mitologias romana e grega estavam ligadas. O maior templo de Roma é o templo de Júpiter. Claro, em todo o Império Romano, existem muitos templos que foram construídos em homenagem a Júpiter, mas o de Roma é atualmente o maior.

A grande praça em frente ao templo está cheia de templos menores que são dedicados a divindades menores. Além de outros objetos religiosos, há muitos troféus, estátuas e outros objetos menores. O templo foi construído por volta de 509 aC e o objeto em si é extraordinário. O templo foi dedicado tanto a Minerva quanto a Juno. Ele está localizado no Capitólio em Roma, que é o lugar onde as pessoas geralmente se reúnem e fazem sacrifícios aos deuses.

Júpiter foi freqüentemente retratado como um grande governador e líder do Império Romano. Ele garantiu que o povo de Roma tivesse bastante em tempo de paz e que terminasse vitorioso em tempo de guerra. Júpiter protegeu todo o império e governou com justiça e não com medo. Havia uma quantidade igual de

Júpiter desempenhou um papel importante na Batalha dos Titãs. A Batalha dos Titãs foi conduzida contra Saturno e outros Titãs, e Júpiter liderou Ciclope para ganhar poder.

Durante o governo de Júpiter, o Império Romano era forte e tinha muito a oferecer. As pessoas não eram tão ricas como durante o governo de Saturno, mas a posição de Júpiter como a divindade mais alta de Roma era prova suficiente de que Júpiter era visto como uma figura completamente diferente de Saturno.

Significado e fatos

Júpiter era filho de Saturno e da deusa Ops. Seu pai, Saturno, matou seus irmãos, mas antes disso, ele matou seu próprio pai. A fim de vingar todos os que foram feridos por seu pai Saturno, Júpiter decidiu se levantar contra seu pai e sua tirania. Nesta guerra, ou confronto de Titãs, Júpiter conseguiu tomar o trono de seu pai e vingar todos os que foram feridos por Saturno.

Júpiter, ao contrário de seu pai, era considerado um deus misericordioso que recompensava as pessoas quando elas as mereciam e as punia quando não mereciam. Ele mandava chuva para os fazendeiros e ajudava em suas colheitas, mas também tempestades e ventos fortes quando seu comportamento não estava de acordo com suas regras.

Além de fazer parte da mitologia romana, Júpiter também foi uma parte importante da astrologia medicinal. Júpiter geralmente está associado a uma personalidade fleumática e branda. Pessoas que estão sob a influência deste planeta geralmente são fáceis de trabalhar e aceitam outras pessoas facilmente. Sempre há uma maneira de se comunicar com eles e fazer algum tipo de acordo.

Na astrologia medicinal, o planeta Júpiter geralmente indica problemas com o tecido adiposo, quadris, glândulas, digestão, garganta e umbigo. Todas essas partes do corpo são muito sensíveis e podem facilmente ser feridas, se você estiver sob a influência deste planeta. As doenças comuns são problemas de fígado, tosse, flatulência, anemia e dispepsia.

De acordo com algumas crenças populares, os alienígenas são mais prováveis ​​de serem encontrados em planetas como Júpiter e Saturno. De acordo com algumas pesquisas científicas, planetas gelados como Júpiter são os melhores lugares para a vida alienígena evoluir e sobreviver, porque gelo significa água.

Na astrologia ocidental, Júpiter representa a maneira como vemos a vida e como interpretamos as leis da vida. Por outro lado, seu pai Saturno representa nossas limitações. A palavra hindu para Júpiter é Guru e essa palavra representa o Dharma ou a maneira como resolvemos os problemas que surgem à nossa frente. Para determinar a maneira como você resolve seus problemas, você precisa determinar qual signo do Zodíaco está em Júpiter. Júpiter também está ligado à vocação e Júpiter também é o maior planeta do céu.

Na arte, Júpiter era geralmente representado com uma grande barba branca e um manto vermelho. Muitas estátuas e templos foram construídos em sua homenagem em Roma, o que o torna uma das divindades mais populares ou importantes do Império Romano. A maneira como essa divindade romana foi retratada é prova suficiente de que os romanos tinham uma opinião muito elevada sobre ele.

O declínio de Júpiter começou após o fim do governo de César. César foi sucedido pelo imperador Augusto, que imediatamente iniciou um culto imperial. Augusts não estava muito apaixonado pela ideia de ser um deus. No entanto, à medida que novos governantes se sucediam, todos eles queriam ser vistos como deuses e não como humanos, o que acabou levando à queda da religião em Roma. O fim de uma era de religião romana foi trazido após a queda do Império nos 5ºséculo e a ascensão do Cristianismo.

Júpiter e outros deuses tornaram-se apenas uma parte da mitologia e das velhas histórias populares contadas de uma geração para a outra. O significado de Júpiter foi frequentemente ofuscado pela importância do deus grego Zeus, que de alguma forma se tornou ou manteve uma posição muito mais forte na mitologia e na história em geral. Júpiter certamente desempenhou um papel importante na cultura romani em sua maior parte e, apesar do sucesso e dos fracassos desse governante divino, Júpiter nunca esteve muito presente na vida diária romana.

A razão disso não é certa, mas talvez os gregos tivessem um vínculo muito mais estreito com suas divindades e as adorassem com abundância.

Conclusão

A mitologia romana foi a base de muitas outras religiões, como o Cristianismo e até o Islã. As pessoas muitas vezes não conseguem ver essa conexão, mas a conexão definitivamente existe. Sempre há três divindades principais ou seres sagrados em torno dos quais todo o conceito religioso é baseado. Neste texto estaremos falando sobre o deus romano Júpiter, que era o deus do trovão, do céu e da tempestade.

Júpiter foi freqüentemente retratado como um grande governador e líder do Império Romano. Ele garantiu que o povo de Roma tivesse bastante em tempo de paz e que terminasse vitorioso em tempo de guerra. Júpiter protegeu todo o império e governou com justiça e não com medo. Havia uma quantidade igual de

Júpiter também era a divindade mais elevada da mitologia romana e era freqüentemente chamado em várias situações. Essa divindade suprema era a base em torno da qual toda a religião era cercada, mas além de Júpiter, os romanos tinham muitas outras divindades ou uma divindade para quase tudo que representasse algo importante para eles.

Como mencionamos anteriormente, na astrologia medicinal, o planeta Júpiter geralmente indica problemas com o tecido adiposo, quadris, glândulas, digestão, garganta e umbigo. Todas essas partes do corpo são muito sensíveis e podem facilmente ser feridas, se você estiver sob a influência deste planeta. As doenças comuns são problemas de fígado, tosse, flatulência, anemia e dispepsia.

O início de Júpiter não foi tão otimista e não há muitas provas de sua infância, mas ele ainda conseguiu assumir a posição de uma das divindades mais respeitadas em Roma. Saturno, o pai de Júpiter, permanecerá para sempre a ser uma versão mais cruel e muito mais cruel de Júpiter. Júpiter era visto como o vingador e alguém que recuperou a moral e a trouxe de volta para Roma.

As representações artísticas de Júpiter são prova suficiente de que ele era respeitado e considerado a divindade mais elevada de todas. O maior templo de Roma é o templo de Júpiter. A grande praça em frente ao templo está cheia de templos menores que são dedicados a divindades menores. Além de outros objetos religiosos, há muitos troféus, estátuas e outros objetos menores. Claro, em todo o Império Romano, existem muitos templos que foram construídos em homenagem a Júpiter, mas o de Roma é atualmente o maior.

O templo foi construído por volta de 509 aC e o objeto em si é extraordinário. O templo foi dedicado tanto a Minerva quanto a Juno. Ele está localizado no Capitólio em Roma, que é o lugar onde as pessoas geralmente se reúnem e fazem sacrifícios aos deuses. Júpiter ganhou uma quantidade extrema de seguidores de culto em Roma, mas também através das fronteiras de Roma. Ele era visto como um governante justo que conquistou a quantidade certa de força e medo para ganhar respeito, mas nunca foi cruel.

O governo de Júpiter pode não ser lembrado como um dos mais ricos e positivos, mas ele certamente foi justo. Em muitos casos, a existência de Júpiter é ofuscada pelo governo de Zeus na mitologia grega. Zeus de alguma forma permaneceu como um personagem muito mais forte não apenas na cultura grega, mas também nas mentes das pessoas hoje. A maioria das pessoas não conhece a divindade suprema da mitologia romana, enquanto muitos sabem que o governante dos deuses gregos é Zeus. A razão disso não é certa, mas talvez os gregos tivessem um vínculo muito mais estreito com suas divindades e as adorassem com abundância.

Além disso, é significativa a forma como a imagem de Júpiter foi preservada ao longo do tempo e sua influência na cultura romana. Embora seu pai muito mais cruel, Saturno, seja agora muito mais conhecido do que ele, Júpiter ainda é lembrado como o deus muito mais gentil, mas respeitável. Claro, conforme o tempo exige, a importância de Júpiter agora só é importante para pessoas que estão interessadas em culturas antigas e que desejam saber mais sobre o mundo. Em outros casos, a regra de Júpiter simplesmente continua sendo uma informação que ocasionalmente encontramos.